Nove verdades e uma mentira sobre as doenças respiratórias

Comuns nas trocas de estação, patologia atinge 45% dos brasileiros

No embalo da nova corrente “nove verdades e uma mentira”, que se espalhou no Facebook esta semana, o infectologista Alberto Chebabo, integrante do corpo clínico do laboratório Sérgio Franco, elegeu nove verdades e uma única mentira sobre as doenças respiratórias, muito comuns entre os brasileiros.

Que tal testar seus conhecimentos? Vamos lá:

1. Alguns dos sintomas das doenças respiratórias são a coriza, as alergias e os resfriados.

2. O tempo seco e o frio são fatores externos que ajudam no desenvolvimento das doenças respiratórias.

3. É no verão que surgem as maiores incidências de doenças respiratórias do país.

4. Os tipos de doenças respiratórias mais recorrentes são a asma, a rinite, a bronquite e a sinusite.

5. Dessas doenças, as únicas com influência genética são a arma e a rinite.

6. Os principais elementos que desencadeiam as doenças respiratórias são a poeira, perfumes, fumo e alguns insetos e plantas.

7. O tratamento desse tipo de doença deve ser feito através do controle ambiental e dos remédios receitados pelo especialista.

8. Ambientes com umidade são propícios para desenvolver doenças respiratórias.

9. Bichos de pelúcia, livros, cortinas e tapetes não podem estar no quarto de uma pessoa com histórico de doenças respiratórias.

10. Usar panos úmidos no lugar da vassoura e do espanador é uma das maneiras de evitar o desencadeamento de doenças respiratórias.


ATENÇÃO: quem apostou que a frase número 3 é mentira, acertou! 

Na verdade, a primavera e o outono são as estações com o maior número de registro de casos de doenças respiratórias no país e isso se deve, principalmente, ao clima seco e às mudanças bruscas de temperaturas – ficando, geralmente, mais frias do que o normal.

Postagens mais visitadas deste blog

GUIA DE SEBOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

Exames certos podem detectar e prevenir doenças cardíacas

CHN abre inscrições para o Encontro com Especialistas Imagem em Cardiologia