Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2014

CONHEÇA MAIS SOBRE O NUTRÓLOGO

Paulo Gusmão, ex – guitarrista e anestesiologista até pouco tempo atrás, nos conta um pouco mais sobre sua história de vida, e, o que a nutrologia trouxe de bom para sua vida.
“O trabalho de anestesista é importante porque o profissional pode analisar e estudar o paciente como um todo. A anestesia me ensinou a ajudar o paciente cada vez mais e melhor, pois eles devem resistir às cirurgias e depois passam a se preocupam mais com sua própria saúde. Optei pela medicina para entender um pouco mais o estilo de vida das pessoas e procurar melhorar a vida de cada uma”, diz Gusmão.
“SAÚDE: O MAIOR DOS PRAZERES”. Esse é o lema e o nome do meu livro, que pretende dessa forma inspirar,informar, entreter, esclarecer as pessoas em relação ao que é saúde, reeducação alimentar, a falta de saúde, e, o estresse que já é considerado mal do século. As pessoas não se alimentam direito, apesar de sabem o que é bom para a saúde, e não procuram mudar tal situação, fator primordial para quem quer emagrecer e m…

A TRAJETÓRIA DO PADRÃO CORPORAL FEMININO

A TRAJETÓRIA DO PADRÃO CORPORAL FEMININO Sem dúvida que o padrão corporal, estilo, moda vem ao longo do tempo variando no cenário fitness. Nos anos 60 surgem as calças cigarretes e mini saias e com isso a preferência feminina era de corpos alongados e magros. Nos anos 70 com estilo desleixado, as mulheres são adeptas dos jeans, roupas floridas e psicodélicas e a obsessividade pela magresa foi o padrão corporal da época, onde a paz e o amor eram mais importantes que o físico. Nos anos 80, a febre "New Wave" inspirou-se basicamente na geração saúde e o ponto alto da ginástica aeróbica. As lycras, sapatilhas e polainas eram usadas não somente nas academias, mas no dia-a-dia. A tônica do fitness passa ser mais aceita pelas mulheres que ainda apresentavam aspectos frágeis com corpos sem indícios de músculos desenvolvidos. Nos anos 90 ainda com forte influência da última década, as mulheres ainda cobiçavam uma forma amarrada de aspecto emagrecido. Na década de 2000 as mulheres passaram…

Hipertensão arterial: ausência de sintomas dificulta diagnóstico da doença

Com o intuito de lembrar o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial (HA), celebrado em 26 de abril, o Bronstein Medicina Diagnóstica alerta para a importância do diagnóstico precoce e do controle periódico da pressão arterial. Conhecida como “pressão alta”, a hipertensão é uma das doenças que mais matam no Brasil. Isso acontece por causa da variedade de sintomas que podem estar presentes, sem, entretanto, serem específicos da doença. Com o objetivo de alertar a população sobre os perigos da hipertensão é que o dia 26 de abril foi marcado como o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. Segundo a responsável pela Monitorização Ambulatorial da Pressão Alta (MAPA) do Bronstein Medicina Diagnóstica, a Dra. Adriana Junqueira, a HA pode ter como fator agravante, entre outras causas, a ingestão exagerada de sal. O excesso de sal provém, em grande parte, de alimentos processados que contêm a substância na forma de seu princípio ativo, o sódio. Qualquer indi…

Por que se livrar do sedentarismo? Sete razões para começar atividades físicas hoje

Conheça os principais benefícios que os exercícios trazem para a saúde Alguns têm mais e outros menos disposição para fazer atividades físicas. Os motivos também podem variar: uns são inspirados pela estética; já outros prezam o bem-estar. Mas uma coisa é consenso entre o grupo de pessoas ativas: quem se exercita ganha inúmeros benefícios para uma vida mais saudável, inclusive a redução da incidência de fatores de risco de doenças cardiovasculares – como hipertensão arterial, diabetes, obesidade e aumento dos níveis de colesterol. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 80% da população brasileira é sedentária, ou seja, não pratica nenhuma atividade física ou faz pouco exercício. O cardiologista Eduardo Nagib, diretor médico do Hospital TotalCor, em Ipanema, Zona Sul do Rio de Janeiro, afirma que o sedentarismo é responsável por 13% das mortes no país, sendo 8,2% em decorrência de problemas no coração. “A ausência de atividades físicas causa um prejuízo acumula…