Dia Mundial do Diabetes alerta para importância do diagnóstico precoce da doença

Cerca de 30% dos portadores de diabetes não sabem que possuem a doença
No Dia Mundial do Diabetes, lembrado em 14 de novembro, o crescimento do número de diabéticos assusta o país. Os dados do último Censo Nacional de Diabetes confirmam o cenário: 7,6% da população urbana entre 30 e 69 anos é acometida pela doença, o que corresponde a 14 milhões de brasileiros vivendo com o mal, caracterizado pelo excesso de glicose no sangue. A prevalência do diabetes no Brasil aumenta com a idade. Enquanto entre 30 e 59 anos  2,7% dos indivíduos têm a doença, essa prevalência sobe para 17,4% nos indivíduos entre 60 e 69 anos.
Segundo Yolanda Schrank, endocrinologista do Laboratório Bronstein Medicina Diagnóstica, aproximadamente 30% dos portadores desconhecem que possuem a doença. “É alarmante que cerca de 30% dos pacientes com diabetes não saibam que são portadores da doença e até 25% dos pacientes recém-diagnosticados já possuem alguma complicação relacionada à doença”, afirma Yolanda.
Segundo a médica, existem vários tipos de diabetes, porém, os mais comuns são os tipos 1 e 2. O tipo 1 acomete, principalmente, crianças, adolescentes e adultos jovens. “Por ser uma doença autoimune, ela destrói as células produtoras de insulina no pâncreas, por isso a necessidade de injeções para regular a glicose”, esclarece Yolanda, que complementa afirmando que o diabetes tipo 2 aparece habitualmente em pessoas depois dos 45 anos e está relacionado com o sedentarismo, a obesidade e a resistência à ação da insulina. “Recentemente, com a epidemia da obesidade, esse tipo de diabetes, infelizmente, tem acometido cada vez mais indivíduos mais jovens e até mesmo crianças”, alerta ela.
Yolanda aponta ainda que é necessário ficar atento aos sintomas que podem ser identificados prestando atenção no corpo. Entre os sinais da doença estão muita sede, vontade frequente de urinar, fome exagerada, perda de peso acentuada, visão embaçada, demora na cicatrização, fadiga ou dores nas pernas. “Ao perceber algum desses sintomas, é necessário consultar um especialista e realizar exames laboratoriais para diagnóstico. A identificação precoce é um dos fatores primordiais para iniciar o tratamento e o controle da doença.” A médica ressalta, entretanto, que a maior parte dos pacientes com diabetes não apresenta sintomas, motivo pelo qual a consulta regular ao médico se faz necessária, sobretudo em indivíduos que possuem algum fator de risco para diabetes, como história familiar da doença, sedentarismo, obesidade e ter mais de 45 anos.
De acordo com Yolanda, a atividade física é uma das formas mais eficazes de prevenir a doença, complementada por hábitos como dieta saudável, controle do peso e manutenção da circunferência abdominal em até 102 centímetros nos homens e 88 centímetros nas mulheres. “É possível ter uma vida ativa e longa com diabetes, basta seguir a orientação do especialista”, conclui a endocrinologista.

Postagens mais visitadas deste blog

GUIA DE SEBOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

A COMPOSIÇÃO DO GLÚTEO

COMO PISAR NA CORRIDA? CALCANHAR OU PARTE ANTERIOR DOS PÉS?